Hormônio do Sono: tudo que você precisa (Guia Completo 2018)

Hormônio do Sono: tudo que você precisa (Guia Completo 2018)


O que você sabe sobre o hormônio do sono? Não deixe o nome te enganar, pois ele não é tão simples quanto parece.

A verdade é que muitas pessoas subestimam o ato de dormir, especialmente em uma sociedade tão movimentada e estressante quanto a atual.

Depois que terminar de ler este texto, você passará a ver as coisas de uma maneira diferente e entenderá a importância de dormir, assim como a relevância do hormônio do sono. Está preparado?

De onde o hormônio do sono vem?

O hormônio do sono, também chamado de melatonina ou o hormônio da noite, vem de uma das áreas mais intrigantes e estudadas do corpo humano: a glândula pineal.

Hormônio do Sono: tudo que você precisa (Guia Completo 2018)

Para você ter uma ideia, os hindus (originários da Índia) consideram a glândula pineal como um dos chacras mais importantes do nosso corpo.

Na crença deles, chacras são pontos energéticos localizados dentro do corpo que transportam energia para órgãos e sistemas a partir de canais.

Um dos maiores filósofos da história mundial, o francês René Descartes (autor da famosa frase “penso, logo existo”), dizia que a glândula pineal era a morada da alma. Profundo, não é?

Dá para perceber que é realmente uma parte do organismo bem importante e curiosa, certo? Ela fica no meio do cérebro, no centro da cabeça, e tem o tamanho de uma laranja.

Apesar de ser produzido pelo nosso corpo, o hormônio do sono é vendido mercado afora em forma de um suplemento (mais conhecido como melatonina).

As pessoas o compram porque não conseguem obter os seus níveis ideais no organismo, devido ao estilo de vida, à idade ou a algum tipo de deficiência hormonal.

Para que de fato serve o hormônio do sono?

Se você acha que pelo nome óbvio o hormônio do sono faz com que as pessoas tenham uma melhor noite de sono, não está errado. Essa é realmente a sua principal função.

No entanto, ele possui diversos outros benefícios para a sua saúde. O segundo maior benefício talvez seja a sua forte ação antioxidante, que auxilia na reparação e recuperação das células, que sempre são expostas a diversos agentes tóxicos, elementos poluentes, situações estressantes e outros fatores prejudiciais.

Isso acontece porque, ao agir como antioxidante, o hormônio do sono luta contra os radicais livres, que são os responsáveis por permitir a oxidação e o dano das células pelos itens citados acima.

Inclusive, pesquisadores já repararam que pessoas com baixos índices do hormônio do sono no organismo têm mais chances de obterem câncer. Os trabalhadores noturnos, por exemplo, foram considerados vulneráveis a desenvolverem a doença.

Isso se deve ao fato de que, graças a um relógio interno que possuímos (o ciclo circadiano), a glândula pineal apenas produz o hormônio ao fim do dia, quando a luz natural deixa de aparecer. Seu intuito é preparar o nosso corpo para dormir.

A sua suplementação é indicada para pessoas que possuem níveis baixos dela, como as que viajam muito e têm jet lag (ocasionado pela diferença de fuso horário), idosos (que produzem muito pouco da substância), quem tem distúrbios do sono, e indivíduos que trocam o dia pela noite.

Saiba algumas curiosidades sobre o hormônio do sono!

Dê uma olhada em alguns fatos interessantes sobre o hormônio do sono e entenda ainda mais sobre ele:

● Lembra do relógio interno que mencionamos? Pois bem, o principal está no cérebro, mas existem vários outros espalhados pelo corpo, que realizam suas próprias funções. O hormônio do sono é capaz de regular todos eles!

● Esse hormônio pode ser produzido em outros tecidos do corpo também, mas com uma função diferente, que normalmente envolve as suas habilidades antioxidantes, que protegem as células locais.

● A glândula pineal precisa da serotonina (um neurotransmissor ligado ao humor, sono, temperatura corporal, entre outros) presente no sangue, para produzir o hormônio do sono e depois liberá-lo na corrente sanguínea novamente.

● Para que o hormônio consiga efetuar suas funções corretamente, ele precisa se conectar a um receptor presente nas células. Existem muitos receptores pelo organismo: no cérebro, nos ovários e testículos, coração, fígado, pele, músculos, artérias, rins, tecidos etc.

● Ao consumir o hormônio do sono, a sua temperatura corporal cai bastante, assim como seu corpo fica mais relaxado e cansado. São sensações ideais para conseguir ter aquela noite de sono profundo.

● Quando uma mulher está grávida, o hormônio do sono presente em seu corpo (se estiver em boas quantidades) é passado para o feto através da placenta, para já começar a realizar funções. Quando o bebê nasce, o hormônio é transmitido a partir do leite materno.

Veja algumas dicas para aproveitar melhor o seu sono!

● Grande parte das pessoas fica no celular ou tablet antes de dormir, algo muito desaconselhável porque esses aparelhos possuem a luz azul, a qual interrompe a produção do hormônio do sono. Prefira ler um livro ou baixar um app que bloqueia a luz azul de seu dispositivo.

● O sono não serve apenas para descansar. Ele é útil também para realizar processos metabólicos importantes para o crescimento e desenvolvimento do corpo. Por isso, ter uma rotina noturna de banho e cama é essencial para sua saúde.

● Ao consumir o suplemento do hormônio do sono, você precisa tomá-lo antes de dormir e não durante o dia, pois ele pode causar lentidão e confusão, efeitos que atrapalham suas atividades profissionais. Fora que se ingerir fora do horário de dormir de nada ele adiantará.

● Apesar de o suplemento ajudar, o ideal é que você também procure outros tratamentos em conjunto, especialmente se possuir algum distúrbio do sono, como insônia, apneia, sonambulismo, etc.

● Lembre-se de procurar um médico para lhe orientar sobre o uso do hormônio do sono, as suas dosagens e quando exatamente consumi-lo. Não existe uma regra, pois tudo depende dos objetivos e necessidades de cada um.

Viu como dormir, além de bom, é importante? Entendeu o quanto o hormônio do sono é essencial para que o nosso organismo funcione novamente? E aí? Será que você está precisando dele?


  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *