Melatonina um poderoso e natural remédio para dormir

Melatonina um poderoso e natural remédio para dormir


Você dorme mal? Demora para cair no sono? Acorda cansado(a) e mal-humorado(a) como se não tivesse conseguido dormir direito? Acha que precisa de um remédio para dormir? Então continue com a gente, pois este texto é para você!

Prepare-se para compreender muito melhor o sono, seus distúrbios, o que os medicamentos populares causam e qual é o remédio mais indicado para tratá-los. Você pode se surpreender pelo caminho! Descubra tudo isso a seguir.

Sono: mais importante do que você imagina

Se você acha que ter uma boa noite de sono só serve para descansar o corpo e a mente, está enganado. Dormir bem é importante para todo o funcionamento de nosso organismo, pois durante o sono vários processos metabólicos são realizados em nosso corpo.

As funções cognitivas (como a concentração e a memória) dependem muito de uma noite bem dormida. O sistema imunológico também é muito bem beneficiado pelo sono, assim como a produção de hormônios e o controle do apetite. Até o envelhecimento precoce é prevenido.

Durante o sono profundo, o metabolismo é capaz de liberar substâncias que são essenciais para a nossa saúde, como os hormônios de crescimento e a leptina, que é uma das responsáveis pela redução do acúmulo de gordura.

No geral, recomenda-se oito horas de sono por noite, mas esse número pode mudar dependendo do seu relógio biológico. O importante é manter esse relógio bem regulado, caso contrário ele pode gerar muitos problemas.

Veja a seguir quais são os principais problemas ocasionados pela falta de sono ou por um sono desregulado:
● Memória fraca e baixa concentração.
● Obesidade e sobrepeso.
● Irritabilidade, estresse, depressão e ansiedade.
● Alterações na glicose.

Ciclo do sono: como funciona

Você sabia que existem dois tipos principais de sono? Entenda o que é cada um:

● Sono não REM: é de 75 a 80% do sono total dos adultos. Ele possui três fases. A primeira é a mais fácil de acordar e a terceira é a que tem o sono mais profundo, na qual a respiração, o batimento cardíaco e a pressão estão funcionamento em seu mínimo. Quem chega na terceira fase tem uma ótima noite de sono.

● Sono REM: é o sono com a maior atividade elétrica do cérebro. É como se a mente estivesse em um estado acordado. Apesar de os olhos se moverem rapidamente, os músculos estão paralisados e só podem se mover involuntariamente. É neste sono que os sonhos mais lúcidos acontecem.

Distúrbios do sono: perigos da noite

Os distúrbios do sono são problemas originados por motivos variados que prejudicam a noite de sono e geram consequências muito ruins para a nossa saúde, tanto física quanto mental.

Dê uma olhada em quais são os principais distúrbios do sono a seguir:
1 – Insônia: um dos distúrbios que mais afetam as pessoas. Ela é caracterizada pela dificuldade em dormir ou permanecer dormindo. Pode gerar sonolência durante o dia, mau-humor, fadiga excessiva, ansiedade, irritabilidade, entre outros problemas desconfortáveis.

2 – Apneia do sono: consiste em paradas respiratórias enquanto a pessoa dorme, o que ocorre devido à redução no tamanho da faringe (tubo por onde o ar entra). Normalmente, quem sofre com apneia nem sabe disso. Este problema pode causar cansaço diário, dificuldades de concentração, ronco, desânimo, etc.

3 – Bruxismo: é o ranger e apertar dos dentes que, apesar de poder ocorrer durante o dia, é mais comum à noite. Ele causa dores fortes de cabeça, desgaste dos dentes, dores na mandíbula, etc. Geralmente é associado a pessoas estressadas, ansiosas ou com problemas articulares.

4 – Sonambulismo: ocorre quando algumas partes do cérebro são ativadas em um momento incorreto, o que faz com que o sonâmbulo tome atitudes como se estivesse acordado, mas na verdade está dormindo. É um distúrbio perigoso, pois a pessoa está fora do controle e pode acabar machucando a si ou aos outros.

5 – Terror noturno: quem sofre com terrores noturnos geralmente acorda gritando, suado e com o coração a mil. É comum que a pessoa tenha visões assustadoras e possa também apresentar outro distúrbio: a paralisia do sono, que consiste na consciência da mente e na paralisação dos músculos do corpo.
Remédios para dormir: os mais usados e seus efeitos

Você sabia que, segundo o IBGE, mais de 11 milhões de brasileiros consomem remédios para dormir?

Esses números não param de crescer! O problema é que a maioria dos remédios comprados possui efeitos colaterais bem ruins, pois são controlados. Conheça alguns dos principais remédios usados:

– Rivotril (clonazepam), Lorax (lorazepam), Frontal (alprazolam) e Lexotan (bromazepam): são sedativos hipnóticos do tipo benzodiazepínico, muito vendidos para tratar a insônia. Possuem efeitos colaterais danosos, como a dependência, sensação “grogue”, perda da realidade, baixa coordenação motora, desequilíbrio, enjoo, vertigem, entre outros.

– Buspar (buspirona): também é um sedativo hipnótico, mas não é benzodiazepínico. Causa menos efeitos do que os do grupo anterior, mas não é indicado para todas as pessoas com problemas de sono.

– Prozac (fluoxetina): é um remédio antidepressivo muito forte, que deve ser ingerido por pessoas cuja insônia deriva-se de um quadro de depressão. Também possui uma forte incidência de efeitos colaterais.

– Melatonina: erroneamente não é tão utilizada como os outros, mas gera efeitos colaterais bem menores, pois é baseada em um hormônio que produzimos naturalmente no corpo. A melatonina pode servir para tratar não só a insônia, mas também outros distúrbios. Vale a pena conhecer mais sobre ela!

Melatonina: o melhor remédio para dormir

A Melatonina é tão eficiente pois ela é produzida no nosso corpo com a função de regular o nosso relógio biológico (lembra dele?). Ela é produzida apenas quando as luzes naturais são escassas, ou seja, a partir do entardecer.

O seu suplemento é indicado principalmente para quem não consegue manter uma boa rotina de sono e acaba produzindo pouca melatonina. A substância ajuda a induzir o sono e a proporcionar uma noite bem dormida.

Além disso, a Melatonina atua como um excelente antioxidante, melhorando o funcionamento geral do organismo enquanto previne doenças de aparecerem, como alguns tipos de câncer, Mal de Parkinson, envelhecimento precoce, entre outros.

O corpo costuma reagir melhor à ingestão da Melatonina do que dos outros medicamentos controlados que citamos.

Melatonina: dosagens ideais

A Melatonina é vendida em diversas dosagens que variam desde 1 até 10 mg. Alguns especialistas sugerem que no início a substância seja ingerida em dosagem de 1 mg antes de dormir e depois passe adiante para a 3 e até a 5 mg.
Outros já concordam que, dependendo da gravidade do distúrbio, a pessoa deva começar por 5 ou 10 mg por dia. É preciso ter cautela com dosagens altas, pois elas podem ser prejudiciais ao organismo.

Para quem deseja uma ação prolongada, a dosagem recomendada gira em torno de 2 e 3 mg. A substância deve ser ingerida pelo menos 1 ou 2 horas antes de o indivíduo ir dormir.

Para quem deseja melhorar os efeitos do jet lag, o indicado é a dosagem de 3 mg na noite de chegada ao local com fuso horário diferente. A liberação rápida se mostra mais efetiva do que a liberação lenta.

E aí, o que achou da Melatonina como o remédio do sono? Parece melhor do que aqueles que você tomava, certo? Lembre-se de sempre consultar um médico para verificar sua condição de saúde antes de consumir qualquer suplemento ou medicamento.


  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *